SE JOGA NO BLOQUINHO DE CARNAVAL!

O carnaval 2009 passou, a semente foi plantada, a fórmula aprovada e o carnaval 2010 vem aí!


De tanto perambular de bloco em bloco pela zona sul e o centro do rio, com a alegria irreverente e inerente ao carnaval, a turma foi crescendo. Mantendo uma das tradições mais populares do carnaval carioca, surgiu mais um bloco de carnaval, o Bloquinho de Carnaval! Nele o que impera é a descontração, a alegria e o verdadeiro espírito do carnaval de rua, uma festa profana onde o que se faz é folia.

Muitas marchinhas, clássicos do samba e aqueles sambas-enredo inesquecíveis, para todo mundo cantar junto. 100% música brasileira.

E para que o espírito original seja preservado, sempre haverá um clima de mistério/desorganização (planejada, é óbvio!) pairando sobre o bloquinho de carnaval. As datas, horários e locais de concentração e dispersão serão guardados à sete chaves e a informação só começa a circular algumas horas antes, no boca-a-boca entre amigos!

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

vai treinando, para não fazer feio!

Mamãe eu quero, mamãe eu quero
Mamãe eu quero mamar
Me dá a chupeta, me dá a chupeta
Me dá a chupeta pro nenem não chorar
Dorme filhinho do meu coração
Pega a mamadeira e entra no cordão
Eu tenho uma irmã que se chama Ana
De tanto piscar olho já ficou sem a pestana

Olha a cabeleira do Zezé
Será que ele é, será que ele é?
Será que ele é bossa-nova?
Será que ele é Maomé?
Parece que é transviado
Mas isso eu não sei se ele é...
Corta o cabelo dele! (bis)

Yes, nós temos bananas
Banana pra dar e vender
Banana, menina, tem vitamina
Banana engorda e faz crescer
Vai para a França o café
Pois é
Para o Japão o algodão
Pois não
Pro mundo inteiro / Homem ou mulher
Bananas para quem quiser
Mate para o Paraguai
Não vai
Ouro do bolso da gente
Não sai
Somos da crise / Se ela vier
Banana para quem quiser

O teu cabelo não nega, mulata
Porque és mulata na cor
Mas como a cor não pega, mulata
Mulata eu quero teu amor
Tens um sabor bem do Brasil
Tens a alma cor de anil
Mulata, mulatinha, meu amor
Fui nomeado teu tenente interventor
Quem te inventou, meu pancadão
Teve uma consagração
A lua te invejando fez careta
Porque, mulata, tu não és deste planeta
Quando meu bem vieste a Terra
Portugal declarou guerra
A concorrência então foi colossal
Vasco da Gama contra um batalhão naval

Quem sabe, sabe / Conhece bem / Como é gostoso
Gostar de alguém
Ai..... morena / Deixa eu gostar de você
Boêmio, sabe beber / Boêmio, também tem querer - bis

Cidade maravilhosa / Cheia de encantos mil
Cidade maravilhosa / Coração do meu Brasil
Cidade maravilhosa / Cheia de encantos mil
Cidade maravilhosa / Coração do meu Brasil
Berço do samba e das lindas canções
Que vivem na alma da gente.....
És o altar dos nossos corações
Que cantam alegremente
Jardim florido de amor e saudade
Terra qua a todos seduz ....
Que Deus te cubra de felicidade
Ninho de sonho e de luz

Oh jardineira / Porque estás tão triste
Mas o que foi que te aconteceu? / Foi a camélia
Que caiu do galho / Deu dois suspiros / E depois morreu
Vem jardineira / Vem meu amor / Não fique triste
Que este mundo é todo teu / Tu és muito mais bonita
Que a camélia que morreu ......

mulata bossa nova
caiu no hully-gully
e só dá ela
iê-iê-iê iê-iê-iê iê-iê
na passarela

Se fosse sincera / Ô ô ô ô, Aurora
Veja só que bom que era / Ô ô ô ô , Aurora
Um lindo apartamento / Com porteiro e elevador
E ar refrigerado / Para os dias de calor/ Madame
Antes do nome / Você teria agora/ Ôôôô Aurora

Hei você aí me dá um dinheiro aí, me dá um dinheiro aí
Hei você aí me dá um dinheiro aí, me dá um dinheiro aí
Não vai dar, não vai dar não
Você vai ver que grande confusão
Eu vou beber, beber até cair
Me dá, me dá, me dá, oi
Me dá um dinheiro aí

Chegou a turma do funil / Todo mundo bebe
Mas ninguém dorme no ponto / Ai, ai, ninguém dorme no ponto
Nós é que bebemos e eles ficam tontos - BIS
Eu bebo sem compromisso / Com meu dinheiro
Ninguém tem nada com isso
Aonde houver garrafa / Aonde houver barril
Presente está a turma do funil

Aquele lencinho que você deixou é um pedacinho
da saudade que ficou BIS
Era a felicidade que acenava pra mim
Hoje é bandeira da saudade
banhada num pranto sem fim
Um lencinho não dá pra enxugar
o rio de lágrimas que eu tenho pra chorar
Que nasce da saudade que ficou no seu lugar
Que nasce da saudade que ficou no seu lugar ( Mas aquele lencinho... )

As águas vão rolar
garrafa cheia eu não quero ver sobrar
eu passo mão no saca saca saca-rolha
E bebo até me acabar
deixe as águas rolar...

Cê pensa que cachaça é água?
Cachaça não é água não.
Cachaça vem do alambique
E água vem do ribeirão

Sa, sassaricando, todo mundo leva a vida no arame
Sa, sassaricando a viúva, o brotinho e a madame
O velho na porta da Colombo
É um assombro sassaricando
Quem não tem seu sassarico
Sassarica mesmo só
Porque sem sassaricar
Essa vida é um nó

Chiquita bacana lá da Martinica
Se veste com casca de banana nanica
Não usa vestido, não usa calção
Inverno pra ela é pleno verão
Existencialista com toda a razão
Só faz o que manda o seu coração

2 comentários:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir